sexta-feira, 19 de junho de 2009

ESMOLA OFICIAL


"Eu tenho um sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença - nós celebraremos estas verdades e elas serão claras para todos, que os homens são criados iguais...
"Eu tenho um sonho que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver em uma nação onde elas não serão julgadas pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu caráter. Eu tenho um sonho hoje!" (Martin Luther King, em 28/8/1963)


O sistema de cotas para negros nas universidades é a assinatura oficial do Estado brasileiro no atestado de racismo e de falência do ensino público e gratuito. O governo assume oficialmente, portanto, duas facetas da sua perversão, mas não para corrigi-la, e sim agravá-la. É como um réu confesso que recebe como pena continuar a praticar os crimes dos quais sempre fora acusado.
Por que o sistema de cotas foi criado? Para reparar injustiças ou jogá-las para debaixo do tapete? Porque o negro (de definição complexa num país mestiço como o nosso, “chovo” no molhado), que representa a maior parte da população miserável brasileira, continuará não tendo acesso às escolas e, quando tiverem, continuarão freqüentando escolas públicas cada vez mais vilipendiadas, sucateadas, programadas para valorizar as particulares e na dependência do amor de quem trabalha quase de graça e do voluntariado para sobreviver. Aliás, voluntariado este que surgiu espontaneamente devido à inoperância do Estado, que passou a usá-lo para fazer campanha política e encher de números favoráveis as estatísticas da Unesco, enquanto continua remunerando muitíssimo mal e, conseqüentemente, formando pessimamente os professores atuais e futuros.
A incompetência, a inoperância, a arrogância, a hipocrisia, a indolência, a ignorância, assim como todos os seus antônimos, não escolhem raça ou cor. Quantos negros que renegam a sua raça e a sua cultura não estão agora se "pintando" de negros? Quantos negros que jamais passarão pelas universidades, mas continuarão a ter grande influência sobre a população (como cantores e jogadores de futebol) permanecerão ignorando a sua própria História?

Por outro lado, qual é a porcentagem de negros nas plataformas mais altas das grandes empresas? E nos governos? Na presidência das escolas de samba, maior das ironias? Ínfima, quase zero, respondo sem medo de errar. Qual a porcentagem de negros na mendicância, colhendo alimentos nas lixeiras, no crime organizado e desorganizado, pousados na base cada vez mais larga dessa pirâmide social hierarquizada militarmente, no subsolo das empresas que seguem o mesmo sistema de patentes? Quase a totalidade, diria eu.
E quantos de nós, brasileiros tidos como brancos por aqui (porque no exterior seremos sempre negros ou índios, como verdadeiramente somos), não temos, apesar de renegar consciente ou inconscientemente, uma grande porcentagem de negritude? E o indígena, verdadeiro dono desta terra (e não os Orleans e Bragança que são mantidos por um imposto tão antigo quanto absurdo e que ninguém ousa questionar)? Infelizmente, o índio e o negro têm muito pouco de sua cultura preservada, graças a essa civilização pasteurizadora de comportamentos e culturas, processo também tão antigo, quanto absurdo.
A pseudo-democracia deste país é um sutil sistema de dominação que impõe a cultura que interessa aos dominadores, os detentores do capital e dos votos viciados de uma população cada vez mais adestrada para ser ignorante. A "democracia" teoricamente dá voz (voto) a todos, mas essa voz é afinada pelo diapasão do dominador, pois ela só repete o que se ouve e vê. E o que se ouve e vê é tão somente tudo o que o seu mestre mandar. E vamos obedecendo cegamente.
Recuso-me a aceitar um sistema que qualifica as pessoas pela cor de sua pele, recuso-me a aceitar, enfim, esse sistema de cotas, que não passa de uma esmola oficial, que mais se vinga e segrega do que repara. Enquanto aceitarmos esmolas de todos os tipos de governos eles continuarão dormindo de consciência tranqüila, sem cumprir os seus deveres. Prefiro fazer barulho embaixo da janela dessa gente!
Para terminar: se está na Lei deste país que é crime privilegiar ou discriminar alguém pela cor da pele, o que é a cota racial?
A ilustração foi tirada de outro blog (chamado Casa da Mãe Joana), onde não havia crédito.
A base deste texto foi escrita logo que as cotas começaram a ser aprovadas, no governo do presidente anterior.
Veja também:
Os bichos vão se rebelar
Despedidas
O Fim de Tudo
Monólogos 7
A Teia