domingo, 3 de junho de 2012

DOIS GAROTOS

Tive o privilégio de mais uma vez assistir a um belo espetáculo musical na Sala Paulo Moura, que fica no Centro Municipal de Referência da Música Carioca Artur da Távola, na Tijuca, sábado, dia 2. Mais que música, tocada com virtuosismo e sensibilidade pelo violonista Marcello Gonçalves e o cavaquinista Henrique Cazes, foi uma aula sobre dois dos maiores compositores da história da música: Pixinguinha e Garoto.
O primeiro é por demais conhecido e aplaudido pelo público, embora nunca seja demais relembrá-lo, mas Anibal Augusto Sardinha, o Garoto, que viveu pouco menos de 40 anos, é infelizmente ainda muito pouco divulgado. Por isso, Cazes se concentrou em contar as histórias desse multi-instrumentista paulistano, que começou sua carreira aos 11 anos e tocava banjo, cavaquinho, bandolim, violão tenor, guitarra elétrica e havaiana, mas que perto do fim da vida se concentrou no violão.
Segundo o cavaquinista, tivesse mais dez anos, pelo caminho que tomava em seu trabalho, Garoto se tornaria o maior compositor para violão do século XX. Mas um ataque cardíaco fulminante o levou em 3 de maio de 1955. Cazes, que é autor de um livro que pretendo comprar em breve chamado "Do quintal ao Municipal", não só contou, como ilustrou musicalmente com Marcello, que Garoto foi um precursor da bossa nova e de tudo o que outro gênio das cordas, Baden Powell, iria fazer alguns anos depois. É só ver e ouvir o vídeo abaixo para se ter uma idéia do que o compositor paulistano era capaz, e como esses dois garotos brincam com as cordas do violão e do cavaquinho.

Vídeo: "Lamentos do morro", de Garoto, com Marcello Gonçalves e Henrique Cazes.
Ilustração: "Garoto", de Miécio Caffé.
Veja também: tudo o que foi publicado em junho de 2011.