quinta-feira, 22 de setembro de 2016

VERSOS DO AVESSO

Flagrante do crime hediondo em Mariana (MG). Foto: AFP
Que versos estranhos
descrevem a história
de nossos dias?
Versos opacos,
versos amorfos,
versos mofados,
manchados
de sangue?

Versos do avesso,
versos sem vida,
vida sem poesia
sem prosa, nem verso,
vida vendida
em prateleiras
e gôndolas?

Versos etiquetados,
masculinizados,
brutalizados;
versos que falam
de flores e mulheres
de plástico?

Versos assoreados,
versos sem calor,
sem sol, sem corpo,
versos enlatados?

Que versão
dessas noites em dia
nossos netos terão?
E, afinal,
ainda haverá versos,
versão?

Veja também:
Conexões
Beco sem saída
Espantalhos